quinta-feira, 30 de maio de 2013

NA TRIBO MASAI - VENHAM DANÇAR CONNOSCO...

De repente surgiu o convite..por meio de gestos pediram-me a mão e convidaram-me a dançar com eles..E eu fui...pulei e tentei imitá-las...

Depois foi a vez do meu marido que manobrou um bastão e andou em fila a rodear as guerreiras..

Foi uma grande experiência e um belo momento de confraternização entre pessoas com tão distintos hábitos e experiências de vida..
Insiro dois pequenos videos não editados( não os sei editar ...) filmados (mal..) pelo meu marido...

video video


terça-feira, 28 de maio de 2013

RECEPÇÃO NA TRIBO MASAI- A DANÇA TRIBAL

Quando tivemos autorização para visitar a tribo todos os seus membros se encaminharam para a zona exterior da aldeia a fim de nos receber





Depois de se perfilarem, começaram a cantar e a dançar.
Os saltos e movimentos de vai e vem dos guerreiros com seus bastões é um verdadeiro espectáculo..



O calor apertava mas eles estavam habituados e não se incomodaram continuando por largos minutos com a dança tribal..









 Muitos Masais possuem uma falha dupla nos dentes incisivos pois por essa  falha  introduzem uma cânula com alimento ou medicamento de raízes, quando um doente (criança, jovem ou adulto) não consegue se alimentar.


sábado, 25 de maio de 2013

TRIBO MASAI - O GADO QUE CAÍU DO CÉU E DE CUJO SANGUE SE ALIMENTAM

Os MASAIS acreditam que durante a criação da terra, o Deus da chuva, NGAI, confiou-lhes todo o gado. Baseados nessa crença, todo gado do mundo pertence a eles e constitui o seu bem mais precioso. Por esse motivo, muitas vezes entram em guerra com criadores não Masais, invadindo suas terras e apoderando-se de bois e vacas.

Na realidade os seus ancestrais vieram do Egito conduzindo lentamente o gado e foram se misturando com o povo negro do alto Nilo e leste da África



O alimento comum dos MASAIS é leite, carne e sangue que retiram do gado vivo.O leite é armazenado em cuias que são lavadas com urina de gado.

Para retirar o sangue sem sacrificar o boi, amarram um torniquete no pescoço comprimindo a veia jugular para que ela fique em evidência. Com uma pequena lança, o líder deve perfurar a veia e coletar o jato de sangue numa vasilha especial de madeira. Solto o torniquete, o sangramento é estancado e a ferida tratada com esterco.
Devido a esta dieta rica em proteína, os MASAIS possuem uma envergadura fora dos padrões africanos. Homens e mulheres são altos, esguios e fortes..



A circuncisão é realizada nos meninos (que são proibidos de fazer qualquer ruído durante a cerimônia) e a clitoridectomia(remoção do clitóris) nas mulheres durante a puberdade. As mulheres mais velhas operam as garotas. O governo queniano e ONGs estão tentando acabar com a clitoridectomia. 

Senti uma imensa tristeza ao olhar para esta menina..há certas tradições culturais que são muito difíceis de aceitar...nem o seu sorriso  rasgado e o brilho  tão doce do seu olhar conseguiu minimizar a minha angustia...

quinta-feira, 23 de maio de 2013

NA TRIBO MASAI

coAntes de partirmos para a Tanzânia fomos visitar uma tribo Masai que estava acampada à saída de Amboseli.
Os masai fazem parte das 42 tribos do Quênia e são uma das tribos africanas mais conhecidas internacionalmente, principalmente por possuirem tradições peculiares que são cultivadas até hoje.
Em 1994, a população masai no Quênia estava estimada em 453.000 e a população masai da Tanzânia  em 430.000. Estas estimativas das populações Massai em ambos os países é complicada devido sua natureza nómada e por serem o único grupo étnico autorizado a viajar livremente pelas fronteiras entre os dois países.












Avessos a estrangeiros e turistas, os Masais não gostam de visitas e repudiam, com a agressividade dos seus robustos bastões, as fotos feitas sem prévia autorização. Mas, decididos a enfrentar esse desafio, pedimos ao guia de Safári, para nos proporcionar essa visita, que foi autorizada pelo lider guerreiro Masai

Podemos então observar os coloridos colares e brincos feitos de miçangas queque as mulheres masai usam com tanta vaidade




segunda-feira, 20 de maio de 2013

A NEVE ETERNA DO KILIMANJARO

 Passámos toda a tarde em Amboseli.
Tínhamos tido o primeiro contacto com a vida selvagem e a paisagem era deslumbrante. A prometida chuva não tinha caído e a temperatura estava óptima.

Ao entardecer a neblina que cobria o topo do Kilimanjaro deixou ver a famosa neve eterna que o cobre mesmo com o calor africano
Até este elefante se rendia à beleza da paisagem..
Despedíamo-nos de Amboseli maravilhados...

quinta-feira, 16 de maio de 2013

OS ELEFANTES DE AMBOSELI

Uma dos maiores  destaques deste parque é o elevado número de elefantes ( centenas) que nele residem
Quando os vimos ao longe ficámos entusiasmados...íam na direcção de um pequeno lago..tinham sede.

Passámos por um elefante solitário que raspava o chão com as patas para libertar erva e mais facilmente se alimentar. Disseram-nos que estava só por ser idoso e que como tinha que comer por dia uma quantidade de alimento correspondente , mais ou menos, a metade do seu peso, era lhe mais fácil arrancar a erva.. Não sei se seria tão idoso como nos disseram pois as presas não eram muito grandes...

 De repente avistámos uma manada de elefantes que caminhavam na nossa direcção. Seria que se íam aproximar?

Aproximaram-se a até atravessaram o nosso trilho mesmo a escassos metros do nosso 4x4..à frente ía a matriarca e ...surpresa... no meio da manada ía um elefante bébé ( talvez 1 mês)  foi emocionante.
Passaram e seguiram o seu caminho...

segunda-feira, 13 de maio de 2013

A VIDA SELVAGEM EM AMBOSELI

Grou coroado
 Amboseli é um exuberante paraíso, alimentado diretamente pelo derretimento das capas de neve do Monte Kilimanjaro.
 Antes da descoberta da montanha em 1848, a povoação local acreditava que um terrível deus residia no interior da montanha e que paralisava aqueles que se ousavam a aproximar do seu lar. Claro que não sabiam disso na época, mas estavam se referindo a um fenômeno que era totalmente estranho para eles – o frio intenso.


Amboseli está sempre transbordando de água todo o ano graças ao 
derretimento das capas de neve do Monte Kilimanjaro.

O parque tem duas nascentes de águas cristalinas e lençóis freáticos subterrâneos em abundância. E onde há água, há vida. As plantas de papiro crescem em águas rasas e a disponibilidade de água atrai zebras, girafas, impalas, leões, hipopótamos, búfalos, leopardos, chitas e hienas em grande número. Os bebedouros são transformados em spas para os animais ao anoitecer e amanhecer



Um spa  de hipopótamos...


Hienas...Uma olhava intrigada enquanto outra amamentava o filhote..









Ao longe vimos girafas e os primeiros leões em liberdade...mal sabiamos que mais tarde num só dia iriamos ver de perto mais de 30 leões...


sexta-feira, 10 de maio de 2013

AMBOSELI - AONDE ESTÁ O KILIMANJARO?

  À medida que nos aproximávamos da base do Kilimanjaro onde se situava o nosso lodge a chuva parou e raios de sol íam aparecendo timidamente..
As nuvens não deixavam ainda vislumbrar as eternas neves da mais alta montanha africana..















A sensação de paz que o lugar transmitia, fazia-me duvidar da existência de animais selvagens.




O Lodge era lindíssimo e o ambiente envolvente tão sereno.
Os imensos macacos que por ali andavam fintavam-nos para tentarem entrar nos quartos para roubarem comida..


Separados por um pequeno arame da zona onde estavamos, passeavam e alimentavam-se grupos de gnous e zebras...pareciam animais domésticos...





quarta-feira, 8 de maio de 2013

CHEGADA A AMBOSELI - OS MINI TORNADOS

O Parque Nacional Amboseli retrata uma imagem clássica: o contraste da paisagem africana contra o cenário proporcionado pelos picos cobertos de neve do Monte Kilimanjaro. 
Antes de termos essa visão encontrámos pelo caminho um imprevisto que não nos queria deixar passar....e nós "eramos visitas" pelo que esperámos que a D. girafa nos autorizasse a continuar o percurso..


O tempo começa a ameaçar chuva, o vento quente sopra forte e à nossa frente temos uma planicie árida imensa...ao  longe avistamos pequenos tornados que ainda tornam a paisagem mais bela e inquietante...
As nuvens encobrem por completo o Kilimanjaro...


 Avistámos avestruzes e ficámos surpreendidos pelo seu tamanho..eram muito maiores do que estávamos habituados a ver.

Ao longe continuávamos a ver os tornados...que estariam localizados no local do resort.

Será que a chuva nos ía estragar o primeiro safari que íriamos fazer nessa tarde?

domingo, 5 de maio de 2013

A CAMINHO DE AMBOSELI - KARIBU

O Quênia é um dos principais destinos da África Oriental para fazer safáris e o Parque Nacional Amboseli, no reino do Kilimanjaro, não é excepção. 
O parque fica perto da fronteira com a Tanzânia, a cerca de 250 quilometros de Nairóbi. A viagem foi feita por via rodoviária e quase  
demorou   4 horas, pois as condições das estradas são deficientes.

Pelo caminho fomos observando aldeias, mercados e modos de vida..



Os transportes colectivos vão sempre  com lugares esgotados...

Este era o nosso 4x4 que nos transportava e que nos íria deixar na 
fronteira com a Tanzânia depois do safari em Amboseli



Karibu Amboseli ( bem vindos a Amboseli)