terça-feira, 5 de janeiro de 2016

SAVONA - A FORTALEZA PRIAMAR

A Fortaleza Priamar é um dos principais monumentos que se deve visitar quando estamos em Savona. Ainda hoje é possível encontrar, logo na entrada, ruinas antigas sobre as quais foi construída a fortaleza, em 1542. 

De um lado da rampa de acesso podemos ver ruinas da antiga catedral. O facto de ter sido uma antigo forte militar confere ainda mais charme ao lugar.
 O que antes era estratégico porque os militares poderiam avistar do alto qualquer risco de perigo, hoje é uma bela vista panorâmica. De um lado o mar, do outro a cidade e seu tetos e torres. Além de apresentar uma vista privilegiada do porto. possui diversos museus e tem sempre acontecimentos didácticos acontecendo no local.










Convem levar sapatos cómodos pois o piso empedrado é muito irregular e escorregadio.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

SAVONA - A CAPELA SISTINA

Savona costumava ser um dos principais locais da indústria de ferro italiana, tendo trabalhos em ferro e fundições, construção naval, oficinas ferroviárias, lojas de engenharia e uma fundição de bronze.
Um dos ex-habitantes mais famosos de Savona foi o navegador Cristóvão Colombo, que se dedicava a cultivar a terra enquanto escrevia as crónicas das suas viagens
 Savona adquiriu a independência no século XI, tornando-se um município livre e aliado do imperador. Savona foi o centro da cultura religiosa (entre os séculos XIII e XVI), devido ao trabalho de dois mosteiros importantes: Dominicanos e Franciscanos. Posteriormente lutou contra Génova antes de ser definitivamente conquistada em 1528.
Um dos seus principais monumentos é a  Cattedrale dell'Assunta (Catedral de Assunta), construída após a destruição da catedral antiga pelos Genoveses.


A Cappella Sistina (Capela Sistina), adjacente à Catedral e construída em 1480-1483, que alberga o mausoléu erigido pelo Papa Sixtus IV da família Della Rovere para homenagear os seus pais, Leonardo Della Rovere e Luchina Monleone. A construção foi acompanhada por Giovanni D'Aria e o seu irmão Michele. A capela é arquitetonicamente semelhante à capela  da Basílica em Roma 
Não me deixaram tirar fotos no interior da Capela Sisitina...não vi (?) o aviso..ainda tirei uma mas vieram ralhar comigo ( a senhora de casaco vermelho)..claro que pedi desculpa... sou tão distraida...

CRUZEIRO NO MEDITERRÂNEO - SAVONA

Em Setembro de 2015 fizemos mais um cruzeiro..desta vez no Mediterrâneo. Partimos de  Barcelona e a primeira escala era na cidade italiana de Savona. Como já conhecíamos os arredores resolvemos e bem ir passear por esta cidade. Foi uma bela surpresa pois é uma simpática cidade com alguns pontos de bastante interesse ao redor do velho porto..
Visitámos o porto e avistámos logo uma das  antigas torres da cidade ainda  de pé intactas mesmo após séculos.Há aproximadamente quatro a cinco torres que ainda existem e estão localizados em diferentes partes da cidade.








Percorremos as ruas  principais da cidade debaixo das suas arcadas e atravessamos pequenas ruelas que nos levaram à praça principal









sexta-feira, 6 de novembro de 2015

LOURDES

Lourdes, um dos maiores santuarios da Europa, deve a sua fama às aparições de Nossa Senhora a Bernardette Ssoubirous, de 14 anos em 1858.
Mais de 4 milhões de pessoas visitam anualmente a Grote Massabiele, a gruta das aparições, em busca da curas milagrosas






De estilo romano-bisantino, a Basílica de Lourdes, vasta cruz grega de 2 000m² de superfície, foi concebida como pedestal da Basílica Superior, localizada acima da gruta.
Três ordens da arquitectura concorreram à execução deste monumento : o estilo românico domina as linhas gerais, o romano orienta a forma da saliência das pedras, mas é sobretudo um monumento de grande interesse pelo ornamento dos mosaicos venezianos, das cúpulas e das capelas, que soube se aliar à grande tradição da arquitectura bizantina.
Este conjunto, cuja composição lembra o gesto bíblico dos braços abertos, é um dos sítios mais visitados de Lourdes e é símbolo mundial da fraternidade entre os homens.




Perto do santuário existe uma catedral subterrânea enorme onde tem lugar encontros e manifestações religiosas 



domingo, 1 de novembro de 2015

VANNES

Situada na parte mais recuada do Golfe de Morbidan, Vannes esteve ligada aos Veneti, uma tribo armórica derrotada por Julio Cesar em 56AC Foi capital da Bretanha mas em 1532 foi substituida por Rennes.


Actualmente é é uma cidade comercial que soube perservar as suas tradições
Possui um bairro medieval bem conservado e muralhas impressionantes. Ainda subsistem duas portas a Porte-Prison a norte e a Porte Portene a sul
No centro da cidade a Place des Lices foi outrora cenario de torneios medievais e as ruas em redor têm inumeras casas do sec XVI muito bem conservadas.

OS MENIRES DE CARNAC

Em Carnac, milhares de antigas rochas graníticas foram dispostas em misteriosos alinhamentos pelas tribos megalíticas que povoaram a peninsula desde 4000AC
Os menires são os megalitos mais comuns e são pedras erguidas isoladas ou dispostas em fila como as que existem nos campos de Carnac

terça-feira, 8 de setembro de 2015

BRETANHA - os ADROS PAROQUIAIS ( ( Enclos Paroissiaux )

Reflectindo o fervor dos  bretões, os adros paroquiais foram construidos entre os sec XV  e XVIII.
















 Nesse tempo a Bretanha tinha poucos centros urbanos, mas muitas povoações rurais
enriquecidas devido ao comercio marítimo e ao fabrico do linho.










Grandes monumentos religiosos foram construidos por pequenas aldeias inspiradas pelo zelo espiritual e pelo desejo mais terreno de rivalizar com os vizinhos




Fomos visitar um dos adros mais conhecidos o de Lampaul - Guimiliau..maravilhoso...



segunda-feira, 31 de agosto de 2015

BRETANHA - CÔTE D´ EMERAUDE

A Cote d´Émeraude é assim designada devido às suas águas azuis com reflexos esmeralda.



As suas estâncias e praias de areia, entrecortadas por falésias rochosas estendem-se no norte da peninsula bretã.





Um dos pontos que mais gostei foi caminhar no Cap Fréhel que estava florido e a temperatura era extremamente agradável..uma bela sensação de liberdade..

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

SAINT MALO

Os corsários que partiam de St Malo davam muito trabalho aos navios ingleses, já que muitas vezes chegavam a exigir tributo dos navios mercantes, para que não fossem atacados. Partindo daqui estes mesmos corsários chegaram ao Canadá e subiram o rio Saint Lawrence até a cidade de Quebec. Outros navegaram para o Atlântico sul e estabeleceram uma colónia naquela região, com o nome de Îles Malouines, que mais tarde, já sob o domínio espanhol, passaria a ser conhecida como Ilhas Malvinas, na costa argentina.


Adorei caminhar na parte superior das muralhas que fazem o contorno da Ville Intra-Muros. O contorno das muralhas  pode ser feito a pé, e dar a volta completa corresponde a uma caminhada de pouco mais de uma hora.  Entre 1590 e 1595 Saint Malo declarou-se uma república independente da França, assim como a Bretanha. Seu lema era: Nem franceses, nem bretões, mas sim Malouins".


Em St Malo todos os prédios tem a mesma altura e foram construídos com pedras de granito cinza, criando um conjunto harmónico aos olhos e tornando um passeio por esta região uma verdadeira delícia. Os prédios são ocupados por lojinhas, restaurantes, perfumarias, patisseries, sendo que grande parte do comércio é voltado para o turismo.




Embora a Ville Intra-Muros seja uma atração em si mesma, existem também alguns pontos recomendados para visita, como o Labyrinthe du Corsaire, brincadeira que reproduz a cidade no tempo dos piratas e onde se pode escolher entre quatro rotas diferentes e tentar não se perder. Outra atração é o Musée d'Histoire de la Ville, museu que conta a história de Saint Malo e de todos os personagens marcantes da cidade ao longo dos séculos.



Apesar de ficar à beira mar,  a praia não é uma opção usual por aqui, devido ao tempo freqüentemente instável do Canal da Mancha e aos fortes ventos que costumam soprar. Também é importante ficar atento à maré, já que na baía de Saint Malo o desnível entre maré alta e baixa chega, em certo locais, a quinze metros.